O visionário do Vale do Silício e os carros elétricos

A incrível história do empreendedor digital Elon Musk, que criou a Tesla para colocar os carros elétricos novamente no jogo
Em 2003, Elon Musk já era bilionário, após vender negócios como a Zip2,
companhia que criava conteúdo para portais de notícias, por 307 milhões
de dólares, e, mais tarde, o PayPal para o eBay, por 1,5 bilhão de
dólares. Já tinha começado uma nova companhia, a Space X, que se tornou a
primeira a vender um voo comercial à Lua, agendado para 2013. Louco por
máquinas possantes (ele tem um BMW Hamann M5 e um McLaren F1), Musk
tinha o sonho de tornar viáveis os carros elétricos.

Fundou a
Tesla Motors, sediada na Califórnia, e conseguiu chegar lá. O primeiro
modelo de sua montadora foi o Tesla Roadster, cuja produção foi
encerrada este ano, depois de tornar-se um ícone dos novos tempos.
Lançado em 2005, o modelo virou um dos carros na garagem do ator George
Clooney. Apesar de custar 92 mil dólares, conquistou ainda Sergey Brin e
Larry Page, os fundadores do Google.

PERFOMANCE SEM FUMAÇA
Baseado
no chassi de um Lotus Elise, o esportivo de apenas 875 quilos que fez
um certo sucesso nos anos 1990, o Tesla Roadster tinha uma senhora
diferença: em vez de motor a gasolina, tanque e escapamentos, ele foi
testado (e saiu-se bem) com uma bateria de 6 831 células de íon de
lítio, similares às que equipavam notebooks e celulares.

A ideia
foi de Martin Eberhard, engenheiro que trabalhava na Tesla e com quem
Musk se desentenderia mais tarde. Aparentemente, o estopim da briga foi a
paternidade do projeto.

Com um torque capaz de arrancar de 0 a
100 km/h em 4 segundos e acelerar a 205 km/h, com autonomia de cerca de
350 quilômetros, o Tesla Roadster mostrou que era possível ter um carro
esportivo sem jogar um grama de fumaça no ar. E ainda com uma
performance melhor do que as baterias de chumbo-ácido ou níquel metal
hidruro, que rodavam meros 60 quilômetros e demoravam de 8 a 10 horas
para serem recarregadas.

UM SEDÃ QUE LANÇA TENDÊNCIA
Hoje
com 39 anos, a próxima tacada de Elon Musk, que se formou em economia
pela Universidade da Pensilvânia e um ano depois em física, será o sedã
S, igualmente movido a bateria e vendido por cerca de 50 mil dólares nos
Estados Unidos. “Já temos 6 500 interessados nesse carro e a produção
de 2012 está toda vendida”, disse Musk, no evento de lançamento do S.
Construído em uma fábrica cedida pela Toyota em Freemont, na Califórnia,
o sedã fará com que Musk não apenas deixe de ser um forasteiro no mundo
dos automóveis, como continuará a gerar tendência.

Fonte: Planeta Sustentável

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *