Cadê nosso futuro sustentável? Rio+20 = Rio-20

A proposta das Nações Unidas seria apontar um novo futuro sustentável através da conferência Rio+20. Os únicos e talvez fatos mais importante é que a entidade não contava com uma crise financeira mundial que se intromete nas questões ambientais e também o foco dos líderes mundiais que estão mais preocupados com o dinheiro do que em salvar o planeta.

A Europa vive um momento terrível de sua economia, há desemprego em diversos países, um situação grave se apresenta na Grécia, Espanha e Itália. Sobra apenas a França e Alemanha tentando respirar um pouco. Entre as principais ausências, estão Barack Obama, dos Estados Unidos, Angela
Merkel, chanceler alemã, e David Cameron, primeiro-ministro do Reino
Unido.

O que eu vi nesses últimos dias na televisão, jornais e internet foi muito triste. Apenas discursos vazios dos governantes, propostas vagas sem um fim definido. O documento, que será aprovado entre hoje (21) e amanhã tem poucas intenções e poucos compromissos
compulsórios dos países para a implementação do desenvolvimento
sustentável.

É válido discutir o desenvolvimento sustentável. É válido fazer manifestações nas ruas. Apostar e sugerir ideias, mas do que adianta tanto barulho se os governantes não tem a coragem de fazer as mudanças.

Segue abaixo um texto do diretor-executivo do Greenpeace Internacional, Sr. Kumi Naidoo, a respeito do documento da Rio+20:

“A Rio+20 se transformou em um fracasso
épico. A conferência falhou em termos de equidade, de ecologia e de
economia. Prometeram-nos ‘o futuro que queremos’, mas agora seremos
unicamente uma máquina poluidora que vai cozinhar o planeta, esvaziar os
oceanos e destruir as florestas tropicais.
Este não é um alicerce sobre o qual faremos
economias cresceram ou com o qual conseguimos retirar pessoas da
pobreza. É a última vontade e testemunho do modelo de desenvolvimento
destrutivo do século 20.
Do G20 à Rio+20, esta não é uma boa semana para o planeta. Enquanto
bilhões são gastos para salvar os bancos e outros bilhões mais para
subsidiar a indústria dos combustíveis fosseis, está claro qual é a
agenda que nossos líderes estão seguindo, a dos negócios das companhias
poluidoras.”
Eu, como consumidor, eleitor e cidadão fico muito triste ao ver que meu filho ainda não vai ter um futuro sustentável digno. Iremos ainda consumir os recursos de forma desorganizada e estremamente poluidora. Aqui no Brasil o petróleo reina, ainda mais com o Pré-Sal. Estou certo de que, enquanto tivermos as fontes de recursos fósseis, como petróleo, gás natural, etc, iremos sugá-las com uma fome incontrolável.
A Riqueza é mais importante do que a Natureza.
A única coisa que salvou nessa “Rio-20” foi a conferência C40, das maiores cidades. Ali, vi iniciativas importantes dos prefeitos, embora aqui em São Paulo ainda estamos muito distantes de cidades como Nova York e Londres.
Bom, a única coisa que posso garantir. É que continuarei divulgando novidades sobre os veículos elétricos. Quem sabe ainda poderemos ver esses veículos transportando as pessoas sem poluir o meio ambiente, daqui a 10, 20 anos. Quem sabe.
Por: Vinicius Patente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *