Carro elétrico: o que mudou da década de 70 para cá?

Atualmente, muito se fala sobre carros elétricos, pois há dois pontos
de fundamental importância em jogo: a redução da poluição do ar
provocado pelas emissões dos motores a combustão e a necessidade de
encontrar alternativa ao elevado e crescente consumo de petróleo.

Porém, esse foi um fato bastante badalado na primeira metade da
década de 70, no meio da crise de energia e do elevado preço do barril
do petróleo. Naquela ocasião, a América do Norte se juntou aos países de
grande consumo para desenvolver carros mais eficientes.

Então,
surgiram os carros elétricos. A Honda com o modelo Civic e a Volkswagen
com o Rabbit prometiam grandes mudanças. Naturalmente, haviam outros
fabricantes que apresentaram seus modelos de VE. Os melhores veículos
elétricos da época, segundo relado de James Overbeke, editor do caderno
Industry week, de 03 de Junho de 1974,  tinham autonomia de 170
quilômetros com carga completa de bateria (de chumbo), atingia
velocidade de aproximadamente 90 km/h e o tempo de recarga ficava entre 5
e 7 horas (não haviam carregadores rápidos).

Estaríamos hoje
revivendo os acontecimentos da década de 70? Terá os projetos de carros
elétricos os mesmos desfechos? O que mudou de lá para cá? Naturalmente, é
cedo para afirmar, mas a realidade hoje é bem diferente. Primeiro, o
consumo de combustível fóssil cresceu muito e há poucas chances de se
encontrar petróleo em locais acessíveis.

As últimas descobertas
de novas reservas, a exemplo da brasileira na bacia de campos e
proximidades, encontra-se em grandes profundidades o que encarece
consideravelmente  a extração. Outras estão em regiões de conflito ou de
grandes riscos ambientais.

Então, podemos acreditar que
os VEs estão realmente aqui para ficar. Nunca antes tivemos tantos
grandes fabricantes investindo pesadamente em tecnologia para
desenvolvimento do carro elétrico. Além disso, o população do planeta
está, a cada dia, mais incomodada e atenta a comercialização de produtos
que poluem o meio ambiente.

Além disso, atualmente há baterias
mais modernas e tecnologia capaz de fazer os carros elétricos ganharem
rapidamente mercado a exemplo do que aconteceu, por exemplo, com
aparelhos de celulares e computadores. Finalmente, estamos todos
testemunhando as ações de apoio de governos, de várias partes do globo
terrestre, ao VE.

Eu não tenho nenhuma duvida de que os carros elétricos vieram para ficar e quem, desta vez, apostar contra ele perderá.

Pense nisso e ótima semana,

Evaldo Costa
Escritor, conferencista e Diretor do Instituto das Concessionárias do Brasil
Blog: www.carroeletriconews.blogspot.com
Site: www.icbr.com.br
E-mail: evaldocosta@evaldocosta.com
Siga no Twitter/LikedIn/Facebook/Orkut: evaldocosta@icbr.com.br

Um comentário em “Carro elétrico: o que mudou da década de 70 para cá?

  • 04/09/2012 em 16:32
    Permalink

    Adorei essa visão sua, bem interessante a comparação com os anos 70, faz muito sentido, só que acho que atualmente temos uma tecnologia muito mais avançada para a elaboração de carros elétricos ou coisa assim.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *