O carro elétrico é solução ou ilusão?

Na última semana de marco de 2013, acompanhamos alguns pronunciamentos e ocorrências sobre a mobilidade elétrica global, as quais de certa forma pavimentam a estrada por onde este tipo de tecnologia terá que percorrer até alcançar sucesso.

Do lado dos que não apostam no sucesso do carro elétrico, estão líderes como o diretor de tecnologia e mobilidade sustentável da Ford, Kevin Layden e o engenheiro chefe da divisão do Chevrolet Volt Pam Fletcher. Eles admitiram em entrevista concedida ao Jornal Financial Time do dia 31/03/2013, que não acreditam que os carros elétricos terão
bom desempenho de vendas.

Para eles o peso da bateria, a autonomia limitada, a infraestrutura acanhada de carregamento e o preço dos veículos, são limitadores importantes de vendas, mesmo com os subsídios governamentais em andamento, daí a crença de que os carros
elétricos não decolarão.

Pelo lado dos que acreditam que as vendas de carros elétricos crescerão e darão importante contribuição para os resultados de suas empresas, estão alguns líderes da indústria automobilística asiática.

O CEO da Nissan Carlos Ghosn, por exemplo,  em entrevista concedida dia 26/03/2013 a Global Media Center,
revelou que a redução dos custos de produção será a chave para a liderança da Nissan no mercado de carros elétricos na China. Ele disse que fará todo o possível para ficar com a maior fatia dos 2 milhões de carros elétricos que o governo chinês pretende colocar nas ruas até 2020.

Ghosn, evidenciou que a primeira prioridade da Nissan é aumentar as vendas do Leaf.  “Agora, temos um carro que é tecnicamente adequado. A qualidade está sob controle. Estamos trabalhando para reduzir o custo de produção e desenvolver a infraestrutura necessária.”  Para ele “os carros elétricos não são mais um produto de nicho, mas um segmento de mercado que é extremamente importante e que as pessoas gostam, daí ser a primeira prioridade da Nissan.”

Além do Japão, o Leaf expandiu suas vendas para os Estados Unidos e Reino Unido, tendo inclusive instalado fábricas nestes dois países. O fato é que mais de 54.000 vendas do Leaf já foram realizadas até o momento. Ghosn ressaltou que desde 2006 a empresa vem enfrentando desafios para fazer do Leaf um sucesso de vendas. Segundo ele, um dos maiores obstáculos foi a
oscilação entre o dólar e o iene que fez com que a empresa tivesse que absorver em torno de 25% dos custos nos últimos anos.

Ghosn, disse ainda que a infraestruturas é um desafio real. “Onde o cliente vai carregar a bateria? Como fazer uma viagem longa se a autonomia ainda é limitada? É claro que nós sabemos a solução. Nós estamos trabalhando nisso – aliás já estamos na fase de execução. Tenho certeza de que, pouco a pouco, esses obstáculos serão superados e veremos as vendas
crescerem rapidamente.”

Ghosn, concluiu sua entrevista dizendo que “O preço do carro, a autonomia e a infraestrutura não são os únicos
problemas que estamos enfrentando. Mas o que é mais importante é que nós temos solução para cada um dos problemas apontados. Nós estamos nos movendo na direção certa para ambos. Mas, quando você quer ser inovador e
resiliente, você vê um obstáculo, ele não pode parar você. Ao contrário, ele nos motiva a ir mais longe, para encontrar a solução.”

Pense nisso e ótimo dia.

Evaldo Costa
Escritor, conferencista e Diretor do Instituto das Concessionárias do Brasil
Blog: www.carroeletriconews.blogspot.com
Site: www.icbr.com.br
E-mail: evaldocosta@evaldocosta.com
Siga no Twitter/LikedIn/Facebook/Orkut: evaldocosta@icbr.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *