Carro hipereconômico de São Carlos fatura título universitário

Integrantes do grupo EESC – Mileage posam ao lado do campeão Faísca II, veículo elétrico que construíram

Na última sexta-feira, seis estudantes conquistaram um
título inédito para a Escola de Engenharia da USP de São Carlos. Eles
foram os grandes campeões da Maratona Universitária da Eficiência
Energética, realizada em São Paulo entre os dias 26 e 30 de agosto,
graças ao desempenho do Faísca II, protótipo que construíram para a
disputa da categoria Veículo Elétrico.

Artur Lunardi de Souza, Raphael Smecellato Marcari,
Lucas Bragazza Beghini, Amanda de Ataide Semeghini Puche, Josias Blos e
Bruno Julian de Siqueira integram a equipe EESC – Mileage.

Na última semana, eles viajaram os pouco mais de 250
quilômetros que separam São Carlos do kartódromo Ayrton Senna, em
Interlagos, zona sul da capital, para competir com equipes de outras 19
universidades brasileiras.

bb_bid = “1623559”;
bb_lang = “pt-BR”;
bb_name = “custom”;
bb_limit = “6”;
bb_format = “bbn”;

Trabalharam duro, fizeram centenas de cálculos e
passaram horas e mais horas na fabricação do veículo. Sem falar das
noites de sono abreviadas, segundo garante, Luis Carlos Passarinim, que é
orientador do time e professor do Grupo de Engenharia Automotiva do
Departamento de Engenharia de Materiais da universidade. Valeu a pena.

O produto do empenho, que atende pelo nome Faísca II,
deu oito voltas no kartódromo consumindo apenas 42.492 joules. Isso
significa que percorreu 6,4 quilômetros gastando menos energia do que um
chuveiro elétrico gasta, em média, durante dez segundos ligado.

O veículo é feito em fibra de vidro, devidamente
desenhado para garantir o melhor desempenho aerodinâmico. O motor, de
alta tecnologia, é envolvido por alumínio para dissipar o calor, embora
nunca tenha aquecido. Usa rodas de bicicleta BMX com pneus especiais, e
toda a fiação entre o volante e os comandos do piloto passam por uma
canaleta em sua lateral.

Amanda é a única integrante do sexo feminino no Mileage e
foi a escolhida a levar o Faísca II à vitória por ser a mais leve do
grupo. Apesar de miudinha, ela atendia o requisito de pesar no mínimo de
50 quilos, já vestida com equipamentos de segurança.

A conquista rendeu ao grupo o reconhecimento na área acadêmica, portfólio e know how
aos integrantes, além da promessa de um de seus patrocinadores em
fornecer carros para uso didático na universidade. Eles buscam, agora,
apoio financeiro para disputarem provas internacionais.

Por: Luis Carlos Passarini [vc repórter]

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *