Ônibus elétrico chinês fará testes pelas ruas de Salvador

A previsão é que o veículo, que está sob a responsabilidade da empresa Rio Vermelho, comece a ser testado na próxima semana

Ônibus elétrico chinês faz testes pelas ruas de Salvador (Foto: Almiro Lopes)

Sem combustível, sem poluição, sem barulho. Salvador
recebeu esta semana um ônibus elétrico de fabricação chinesa que está
sendo preparado para ganhar as ruas.

A previsão é que o veículo, que está sob a
responsabilidade da empresa Rio Vermelho, comece a ser testado na
próxima semana, quando também haverá um seminário com empresários para
apresentar o modelo.

bb_bid = “1623559”;
bb_lang = “pt-BR”;
bb_name = “custom”;
bb_limit = “6”;
bb_format = “bbn”;

O ônibus atinge a velocidade máxima de 70 km/h, a
previsão é que ele circule na linha Aeroporto – Lapa. São necessárias 4
horas para carregar a bateria, que tem autonomia de 300 quilômetros.

“A frota depende deles, é preciso entender a
importância do veículo sem poluentes”, disse o secretário de Cidade
Sustentável, Ivanilson Gomes. A principal diferença para os ônibus
tradicionais é ausência de qualquer ruído.

“Vamos testar bem. Ele entrará em circulação numa
rota plana e vamos observar a adaptação na cidade”, afirmou o secretário
municipal de Urbanismo e Transporte, José Carlos Aleluia.

As marchas são acionadas através de botões e o
ônibus também é ligado através de um botão. Tão silencioso que o
motorista só sabe que ele está ligado porque o ponteiro se mexe.
Segundo o secretário Ivanilson, a tarifa seria a mesma dos ônibus
convencionais.

A capacidade é de 23 pessoas
sentadas e 57 em pé. O que inclui assentos para idosos. O ônibus
elétrico em espaço reservado para pessoa com deficiências físicas
e visuais.

Três funcionários da BYD (Build Your Dreams, construa seus sonhos) estão em Salvador para fazer os
últimos ajustes, treinar motoristas e explicar o procedimento de
manutenção. Já existem cerca de 800 ônibus desse tipo na China. Os
ônibus elétricos também já são utilizados na Europa, Ásia e América do
Norte. Na América do Sul, Uruguai, Chile e Colômbia já utilizam.

Fonte: Correio – Bahia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *