Tesla planeja investir até US$ 5 bi em nova superfábrica

Unidade no Texas pode empregar cerca de 6.500 pessoas, disse a fabricante de carros

A Tesla Motors, a fabricante de carros elétricos
que viu o preço de suas ações se multiplicar por sete nos últimos 12
meses, investirá até US$ 5 bilhões em uma nova fábrica de baterias para
poder produzir carros mais acessíveis.

A Tesla disse que planeja um investimento total de US$ 4 bilhões a US$ 5
bilhões na chamada superfábrica até 2020 e irá financiar US$ 2 bilhões
desse montante. A empresa está buscando áreas no Texas, em Nevada, no
Arizona e no Novo México, segundo uma apresentação em seu site. A
unidade pode empregar cerca de 6.500 pessoas, disse a fabricante de
carros com sede em Palo Alto, Califórnia.

“Este seria considerado o projeto industrial mais atrativo deste
tamanho no actual momento dado o investimento e o número de empregos”,
disse Dennis Cuneo, presidente da DC Strategic Advisors LLC e
ex-executivo da Toyota Motor Corp., que ajudou a fabricante de carros a
selecionar áreas para fábricas. “Parece que eles querem uma forte
concorrência entre esses quatro estados e os incentivos provavelmente
serão um fator importante”.

O CEO da Tesla, Elon Musk, disse que a fábrica de baterias é essencial
para atingir a meta da Tesla de ir além dos carros de alto padrão e se
tornar uma fabricante do mercado popular, capaz de produzir 500.000 ou
mais veículos elétricos por ano. A fábrica também pode ajudar a Tesla e a
SolarCity Corp., uma empresa de energia de propriedade parcial de Musk,
a atingir o objetivo de se tornar grandes players na indústria de
armazenamento de energia.

Planos da superfábrica
A Tesla está oferecendo US$ 1,6 bilhão de notas sênior conversíveis
para ajudar a financiar a fábrica, disse a empresa em um comunicado
separado. O rendimento proveniente da venda de notas também será usado
para produzir o veículo “Gen III”, mais barato que o sedã Model S, de
US$ 71.000.

O carro também ajudará a acelerar o crescimento dos negócios da Tesla
nos EUA e no exterior, já que a empresa se prepara para entrar na China
no mês que vem.

Por: Alan Ohnsman
Fonte: EXAME.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *