Poluição serve de vitrine para veículos elétricos e públicos

Paris – O episódio de poluição atmosférica que castiga Paris,
asfixiada há uma semana e submetida a medidas excepcionais para voltar à
normalidade, transformou a nuvem de poluição na vitrine perfeita para o
serviço de carros elétricos e públicos da capital francesa.

O uso do chamado Autolib, um veículo completamente elétrico que desde
2011 faz parte da oferta de transporte público em Paris, registrou um
aumento de 60% desde que a cidade se encontra em alerta ecológico,
explicaram à Agência Efe seus responsáveis.

Isso se deve ao fato de que, seguindo a linha de outras decisões de
urgência para tentar que o elevado número de partículas finas deixe de
envenenar o ar parisiense, os 2.115 desses carros que povoam as ruas da
cidade são gratuitos.

Pelo menos para os 137 mil donos de um abono anual (de 120 euros para
particulares), que não têm que pagar os 5,5 euros suplementares que
custa alugar durante 30 minutos um desses veículos, que é possível
estacionar em 867 estações e se alimentar em 4.540 pontos de carga
elétrica na capital.

Essa oferta ecológica terminou na meia-noite de segunda-feira, pois
espera-se que para então o pico de poluição tenha sido superado, causado
em partes pelas suaves temperaturas e a ausência prolongada de vento e
chuva.

A Prefeitura de Paris estima que a densidade de partículas finas se
situará de novo entre 40 e 55 miligramas por metros cúbicos, abaixo do
nível de alerta, fixado em 80, e longe das 100 miligramas que foram
alcançadas nos últimos dias.

Além de não cobrar pelo uso do carro elétrico, em Paris foram
estabelecidas outras medidas excepcionais para incentivar as pessoas a
deixarem o carro em casa.

Assim ficou estabelecida a gratuidade temporária do metrô, dos ônibus e
dos trens de cercanias da cidade, cujo custo ronda os 4 milhões de
euros diários, segundo a empresa responsável.

Nesta segunda-feira também foi proibido circular em Paris e nos 22
municípios nos arredores com carros com placas terminadas em número par
(salvo que transporte três ou mais pessoas), uma iniciativa comum em
outras cidades do mundo, mas inédita em Paris desde 1997.

Fonte: EXAME.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *