Prefeitura de Curitiba começa a usar carros elétricos na frota municipal

Ao todo, serão 13 veículos, sendo 10 carros e três miniônibus. Iniciativa faz parte de projeto para melhorar a mobilidade urbana.

Carro elétrico ja´será utilizado nas ações de segurança e
prestação de serviço durante a Copa do Mundo
(Foto: Bibiana Dionísio/G1)

Começam a rodar, nesta quinta-feira (5), os primeiros 13 veículos
elétricos da frota oficial de Curitiba. Os carros, cedidos em comodato
pela Renault e pela Itaipu Binacional, fazem parte do projeto
Eco-Elétrico, que visa sugerir alternativas para melhorar a mobilidade
no trânsito e reduzir a poluição. Com os carros, a capital paranaense
passa a ter a maior frota pública de veículos movidos a eletricidade no
país. Os veículos vão integrar as frotas da Secretaria de Trânsito
(Setran), Guarda Municipal e Instituto Curitiba de Turismo, e ficarão
com a prefeitura por, pelo menos, dois anos. De acordo com o prefeito
Gustavo Fruet (PDT) sem custo ao cofre público.

Ao todo, serão 10 carros e outros três miniônibus, movidos a energia
elétrica. Entre os carros, estão cinco Renault Zoe (carro de passeio),
três unidades do Kangoo Z.E. (utilitário), três Twizy (mini carro
urbano), que chegou a ser testado pelo prefeito. A intenção de acordo
com Fruet é que o conceito se incorpore a diretriz adotada pela gestão
por meio do edital do metro, fortalecimento do ônibus, linhas exclusivas
para o transporte público e novos modais. “Inovação tecnológica e
sustentabilidade, agregando uma série de tecnologias com parceiros como a
Itaipu, a Renault e a Nissan, dentro deste conceito de cidade cada vez
mais sustentável”, pontou o prefeito que lembrou que o lançamento da
frota elétrica coincidiu com a Dia Mundial do Meio Ambiente.

A prefeitura da capital paranense não tem o real número de carros
elétricos que circulam pela cidade, porém, a estimativa é de que seja um
percentual baixo. “O desafio do carro elétrico está no custo, que não é
acessível ao consumidor. Há uma alta carga tributária. Há uma tendência
de aumento desta frota em médio prazo. Mas neste momento queremos
mostrar que esta rede é possível de ser feita. Podemos aplicar isso na
frota pública e no transporte público também”, disse Fruet.

Cidade terá eletropontos para recargas dos carros
elétricos em pontos públicos (Foto: Bibiana Dionísio/ G1)

Além dos veículos, a cidade também vai ganhar 10 pontos de
reabastecimento, que também podem ser utilizados pela população no
futuro. Os postos ficam na Praça Rui Barbosa, Parque Tanguá, Parque
Barigui, Secretaria de Administração, Prefeitura Palácio 29 de Março,
Setran- Prado Velho, Jardim Botânico. A adminsitração pública ainda irá a
estudar a melhor forma para regulamentar o uso dos eletropostos pelos
cidadãos que possuem carros elétricos. Todo o sistema será monitorado
online, com informações sobre a emissão do CO2, a energia consumida, o
número de viagens e a distância percorrida.

O projeto Curitiba Eco-Elétrico foi elaborado para ocorrer em quatro
fases, entre os anos de 2014 e 2020. A iniciativa integra um compromisso
assumido pela atual gestão, durante uma conferência na África do Sul.

Nas próximas fases do projeto estão previstas a instalação de mais
totens de abastecimento, dessa vez, multifuncionais. Além de recarregar
as baterias dos carros, eles vão disponibilizar serviços como o
cartão-transporte, parquímetro, câmeras de monitoramento, bicicletas
compartilhadas e rede wi-fi institucional.

Escolha do lançamento
Um dos motivos para o lançamento do projeto, nesta quinta-feira, foi a
proximidade com a Copa do Mundo. Segundo a prefeitura, o evento será
usado também para divulgar o projeto a quem visitar a cidade nesses
dias.

Na página do projeto, é possível ainda conferir os índices de poluição
que os veículos elétricos deixaram de emitir, bem como a quilometragem
rodada e o número de viagens às quais os carros foram submetidos.

Fonte: G1 – PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *