Por que a mais inovadora fabricante de veículos abriu mão de suas patentes

Elon Musk – Tesla

A Tesla é a mais jovem fabricante americana de carros em série.
Fundada em 1993, a empresa produz exclusivamente carros elétricos. Mas
nada de híbridos, são puro sangue mesmo, 100% elétricos!

A produção em massa começou em 2012 e, em 2013, atingiu a marca de 25 mil
carros projetando chegar, em 2014, a 35 mil carros. Embora sua produção
represente pouco mais de 1% do que fabricam anualmente gigantes como a
Ford e a GM, o valor de mercado da Tesla (US$ 28 bilhões) já é quase
metade do valor da GM e 40% da Ford.

O que faz da empresa um caso raro de sucesso é uma série de inovações que têm poder para revolucionar
todo o setor automobilístico. As vendas são diretas (não existe
concessionária) pela internet. O veículo é conectado a internet
permanentemente e a manutenção é feita, muitas vezes, através de
atualizações no sistema operacional ou aplicativos/softwares do carro.
Sua performance é superior a dos automóveis movidos a motor a combustão
em quase todos aspectos: velocidade, arranque, segurança, conforto,
espaço útil e economia. Foi considerado pela Consumers Report como o
melhor carro já produzido entre todas as categorias.

A impressão que se tem depois de se conhecer um veículo da Tesla é que todos os
demais automóveis são ultrapassados. E os conceitos ali aplicados podem
ser expandidos para o transporte coletivo de passageiros e mesmo de
carga.

Uma dos compromissos da Tesla é oferecer gratuitamente carregamento super rápido (20-25 min) em estações fixas distribuídas de forma a permitir que qualquer veiculo possa cruzar países e continentes
sem ficar na mão.

A Tesla possui centenas de patentes e outros tantos segredos industriais em áreas que vão de baterias (só aí são mais
de 100 patentes) a motores elétricos, de sistemas de fabricação e
equipamento de carregamento. Este parecia ser o fator primordial de
competitividade da Tesla, mas a empresa tomou a surpreendente decisão em
junho de liberar o uso de todas a suas patentes como forma de acelerar a
oferta de veículos elétricos.

Em carta aberta aos acionistas da empresa e ao público, Elon Musk, empreendedor e CEO da empresa, explica
que a missão da empresa é acelerar a adoção do transporte sustentável e
que, ao liberar as patentes, contribui para esta missão. Ele diz que
seus competidores não são os demais fabricantes de carros elétricos, mas
os 200 milhões de carros produzidos anualmente com motores a combustão.

A demanda por carros da Tesla é muito maior que a capacidade de
fabricá-los, e a capacidade financeira e a estrutura da empresa para
montar a infraestrutura de abastecimento rápido ou produzir baterias é
limitada. Para que os veículos elétricos se tornem protagonistas do
transporte de passageiros é fundamental a rápida adoção de inovações
como aquelas produzidas pela Tesla.

Ao abrir as patentes, Elon Musk abre uma avenida de oportunidades para revoluções em outros setores
tão fundamentais para uma economia de baixo carbono como tecnologias de
produção, geração, armazenamento e distribuição de energias renováveis
modernas ou a reciclagem e o processamento de resíduos. Que seja seguido o exemplo!

Por: Tasso Azevedo
Fonte: Brasil Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *