Feira de veículos elétricos oferece soluções sustentáveis

Há desde equipamentos como empilhadeiras até automóveis e ônibus, além de skates e bicicletas

Entre esta quinta-feira (4) e o próximo sábado (6) acontece no Expo
Center Norte, em São Paulo, o 10º Salão Latino-Americano de Veículos
Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias. A feira traz lançamentos que
podem ajudar o empreendedor a compor soluções sustentáveis de
mobilidade e logística para o seu negócio. São mais de 80 expositores
que apresentam modelos leves, médios e pesados, para uso interno e
externo. Há desde empilhadeiras e outros equipamentos para o chão de
fábrica até veículos urbanos de frota, como táxis e ônibus, além de
bicicletas, skates e patins equipados com motores.

A feira, organizada pela Associação Brasileira de Veículos Elétricos
(ABVE), tem como objetivo difundir e popularizar o segmento de veículos
elétricos, que ainda encontra dificuldades para se consolidar no Brasil.
Segundo Ricardo Guggisberg, sócio da ABVE e diretor da feira, a
tributação e a falta de incentivos são os maiores entraves. “A questão
tributária causa um efeito cascata, pois torna os veículos elétricos
muito caros. Isso faz com que as montadoras deixem de investir”, afirma.
Outro empecilho está na ponta do varejo: o alto custo dos postos de
recarga. “Somente os recarregadores custam de R$ 5 mil a R$ 30 mil,
dependendo da capacidade de recarga”, diz Guggisberg.

No entanto, ele projeta mudanças no cenário para os próximos anos. O
primeiro passo já foi dado. “Neste ano saiu uma lei de incentivo ao uso
desse tipo de veículo, com isenção de IPVA em alguns Estados. Já é um
começo”, diz. Em sete Estados – Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte,
Piauí, Pernambuco, Sergipe e Rio Grande do Sul – os elétricos já têm
isenção total de IPVA. Em outros três – São Paulo, Rio de Janeiro e Mato
Grosso do Sul – o desconto é de 50%.

O próximo avanço, diz Guggisberg, seria aprovar incentivos na ponta
da indústria. O diretor se refere a uma proposta que está no Congresso
Nacional e trata, entre outros itens, da redução da alíquota de Imposto
sobre Produtos Industrializados (IPI) e do índice de nacionalização de
componentes.

Hoje, os únicos veículos elétricos produzidos no Brasil são ônibus da
Mercedes-Benz. A BMW deve inaugurar sua primeira unidade no Brasil
ainda neste ano, com foco na fabricação de modelos “verdes” – elétricos e
híbridos. A Renault ainda não produz elétricos por aqui, mas fornece
modelos importados para empresas como Itaipu, CPFL e Natura.

Entre janeiro e junho deste ano, foram licenciados no Brasil 418
veículos leves elétricos, quase o dobro dos 211 registrados no mesmo
período de 2013, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de
Veículos Automotores (Anfavea). No ano passado, segundo o Departamento
Nacional de Trânsito (Denatran), a frota de veículos elétricos no país
era de aproximadamente 2,2 mil unidades.

Negócios
O diretor da feira espera que sejam movimentados mais de R$ 40
milhões durante os três dias de evento, o dobro do volume de negócios da
edição anterior, realizada em 2013. A projeção dos organizadores é que
mais de 7 mil pessoas visitem os estandes. No ano passado, foram 4 mil
visitantes.

O evento começou como parte de uma feira mais ampla sobre negócios
sustentáveis. Em 2012, os organizadores criaram uma feira exclusiva.
Esta edição contará também com um congresso do setor, com palestras de
especialistas. A próxima edição já está marcada para 2015, nos dias 24,
25 e 26 de setembro.

Fonte: DCI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *