Volvo apresenta XC90 híbrido de 405 cv

Volvo XC90 T8 possui motorização híbrida plug-in capaz de render 405 cv de potência, além de rodar 40 km/l

Volvo XC90 T8 é uma versão híbrida baseada na nova geração do SUV

A Volvo apresentou nesta semana o XC90 T8, versão híbrida de produção baseada na nova geração do SUV. O modelo se
diferencia dos rivais de luxo híbridos por contar com sete lugares e por ter sistema plug-in (com recarregamento em tomadas).

Além de manter as características luxuosas, o XC90 T8 rende 405 cv de potência e 65,2 kgfm de torque. Se você achou incrível, ele ainda entrega baixas emissões de poluentes e baixo consumo. Segundo a fabricante, ele emite 59g/km de CO² e roda 40 km/l. Para comparar, o modelo mais amigo do meio ambiente à venda hoje no Brasil de acordo com
os dados do Inmetro/Conpet é o Ford Fusion Hybrid, que emite 81g/km de CO² e faz 16,8km/l.

“O XC90 T8 é um carro elétrico plug-in, um híbrido e um modelo de alta perfomance em um só veículo”, afirma Peter Mertens, vice-presidente sênior de pesquisa e desenvolvimento da Volvo Cars.

Conjunto mecânico
O XC90 T8 possui motor 2.0 a gasolina com quatro cilindros especialmente modificado para essa versão híbrida. Com supercharger e turbo, esse propulsor entrega 322 cv e 40,7 kgfm de torque. A transmissão é automática de oito marchas, também adaptada para o T8. Já o motor elétrico, posicionado na parte traseira do veículo, desenvolve 83cv e 24,4kgfm. Segundo a fabricante, isso faz o modelo acelerar de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos.

O SUV possui ainda cinco modos de condução (Hybrid, Pure Eletric, Power, AWD e Save), que podem ser alterados por meio de um botão no console. O modo “Hybrid” é o recomendado para o dia a dia, alternando o uso do motor 2.0 a gasolina com o elétrico, favorecendo assim o consumo. Já o “Pure electric” roda usando apenas o propulsor elétrico, como o
próprio nome diz. Nesse modo, o XC90 é capaz de percorrer mais de 40 km.

O “Power mode” favorece o desempenho, fazendo uso dos motores nas condições em que cada um se sai melhor. Há ainda o “AWD”, que traciona as quatro rodas, permitindo ao condutor acionar o sistema quando preciso e desligar quando não for necessário para poupar energia. Por fim, o último modo é o “Save”, que desliga o motor elétrico usando apenas o a
gasolina. Isso serve para poupar a bateria para usar o modo elétrico em outro momento ou mesmo para recarregar a bateria.

Fonte: iCarros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *