Fabricantes esperam dobrar autonomia dos veículos elétricos até 2018

Elevar para mais de 320 km a autonomia dos automóveis elétricos com preços mais acessíveis ao longo dos próximos três anos faz parte dos objetivos de diversas marcas, procurando tornar estas alternativas mais apelativas e resolver a “ansiedade do alcance”.

A Tesla anunciou que pretende introduzir no mercado em 2017 um novo automóvel denominado Model 3, um veículo elétrico de preços mais acessíveis e com uma autonomia superior a 200 milhas (322 km). No entanto, a Reuters indica que a marca americana fundada por Elon Musk não está sozinha nesta corrida, referindo que pelo menos quatro fabricantes (GM, Ford, Nissan e VW) também pretendem colocar à venda dentro de três anos uma nova geração de carros elétricos com autonomia acima dos 320 km.

Esta inovação irá passar para mais do dobro a distância percorrida sem interrupções para carregamento por estes automóveis de emissões-zero de preços mais acessíveis, já que atualmente a sua autonomia encontra-se, geralmente, entre os 121km e os 137km. Este tem sido considerado como um dos principais motivos para muitos consumidores declinarem a aquisição de um veículo elétrico, sofrendo daquilo que tem vindo a ser chamado de “ansiedade do alcance”. Além de poderem aumentar as vendas destes modelos, esta inovação será também importante para cumprir as normas de emissões cada vez mais exigentes na Europa e nos Estados Unidos. De momento já existem modelos, como o Audi R8 elétrico apresentado em Genebra, com autonomia superior a 450 km, mas trata-se de um automóvel avaliado em mais de 150 000€, sendo que o desafio está em alcançar esta capacidade nos modelos mais baratos e, por isso mesmo, acessíveis a uma faixa maior da população.

Depois da Tesla ter anunciado o final de 2017 como o prazo previsto para a entrada em produção do novo Model 3, com autonomia superior a 320 km, foram já conhecidos alguns dos possíveis concorrentes para este automóvel. A GM anunciou que já em 2016 espera alcançar esta autonomia com o novo Chevrolet Bolt, que fará uso das novas baterias de ions de lítio desenvolvidas pela LG Chem, elemento que tem vindo a ser considerado fundamental para este aumento de autonomia. Estas baterias serão igualmente utilizadas pelo veículo elétrico que a Ford pretende apresentar em 2018, e a Nissan e a Volkswagen são outras das empresas que já assinaram acordos com a LG Chem, planejando também para dentro de três anos a chegada ao mercado da nova geração de automóveis elétricos.

Por: Nuno Fatela
Fonte: Turbo (Portugal)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *