O projeto alemão que pretende redimir o carro de três rodas

Modelo elétrico será voltado ao mercado de jovens motoristas urbanos

Carros de três rodas são populares entre inventores em busca de soluções econômicas e ecológicas que possam abalar as estruturas da indústria automobilística.

As máquinas mais estilosas exibem um design arrojado, com duas rodas polpudas na frente e um corpo em forma de lágrima que se estreita suavemente até ter o apoio de uma única roda traseira. O projeto final é compacto, estável e fácil de direção.

Mas vire o modelo ao contrário – colocando a roda única na frente – e o veículo ficará mais parecido com um tuk tuk tailandês. Ou pior, com o esquisito carrinho britânico Reliant Robin.

A divulgação recente do carro elétrico Innvelo Three, no entanto, prova que essa aparência pode finalmente se redimir.

Projetado pela empresa de desenho industrial Form & Drang, de Leipzig, na Alemanha, o veículo está chamando a atenção por seu formato. Sua engenharia, no entanto, também é sólida e bem pensada, graças à parceria com o Instituto de Maquinário e Equipamento de Chemnitz (ICM).

As duas rodas traseiras garantem mais espaço ao compartimento de passageiros e carga, fundamental no principal mercado-alvo do modelo: motoristas das grandes cidades que querem adotar soluções de mobilidade elétricas e compactas.

E por que três rodas em vez de quatro? Porque a Alemanha permite que maiores de 16 anos dirijam veículos de três rodas (com certos limites de potência e velocidade), enquanto os carros tradicionais só podem estar nas mãos de quem já tem 18 anos ou mais. E que mercado não quer propiciar a adolescentes uma experiência “adulta” legalizada?

Por isso, talvez a maior dificuldade no projeto tenha sido o preço final ao consumidor que a Innvelo queria atingir: de 10 mil a 15 mil euros (de R$ 32,5 mil a R$ 48,8 mil). “Não houve muita liberdade para usarmos materiais extravagantes ou aparelhos high-tech”, afirma Ronny Sauer, um dos fundadores da Form & Drang. “Até itens indispensáveis, como o para-brisas dianteiro, tiveram suas limitações. Ele teve que ser curvado em apenas uma direção, senão o custo aumentaria.”

Os engenheiros ainda se depararam com o maior problema do design em forma de triciclo: sua tendência a derrapar nas curvas fechadas e freadas. A melhor maneira de corrigir isso foi manter o centro de gravidade baixo e colocar a maior parte do peso do carro sobre as rodas traseiras.

O protótipo de quase 400 quilos usa um par de motores elétricos que, juntos, produzem 9 cavalos de potência. Mesmo assim, esse carro de dois assentos é capaz de chegar a praticamente 100 quilômetros por hora, e oferece uma autonomia de mais de 96 quilômetros.

A empresa pretende produzir três modelos – um para motoristas e passageiros urbanos, um para transporte de carga e um cupê esportivo.

Atualmente, o designer Sauer está testando o protótipo nas ruas. Segundo ele, a produção pode começar em 2017, com o lançamento na Alemanha previsto para 2018. A exportação para o resto da Europa, a Ásia e os Estados Unidos começaria logo depois.

Se o Innvelo Three parece um modelo estranho que nunca vai conquistar o mundo, lembre-se que o Patent Motorwagen de Karl Benz, lançado em 1885 e considerado o primeiro veículo motorizado do mundo, também era um triciclo com uma roda única na frente. E veja a revolução que ele realizou.

Por: David K. Gibson
Fonte: BBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *