Vagas de trabalho para construção da Linha 6 Laranja do Metrô

O Consórcio Expresso Linha 6, contratado pela Concessionária Move São Paulo, para construir a Linha 6-Laranja de Metrô de São Paulo,
está com várias vagas de trabalho abertas. São oportunidades nas áreas
de construção civil para homens e mulheres com ou sem necessidades
especiais. O endereço
de cadastramento é Avenida Ermano Marchetti, 974 – Lapa de Baixo. É
preciso comparecer de Segunda à Sexta-feira das 7h00 às 17h30. Mais
informações pelo telefone 0800 725 6411. Os documentos necessários para o
cadastro das vagas: Carteira Profissional, RG, CPF e comprovante de
residência. A expectativa é de que – durante a construção da nova Linha –
serão criados 8.000 mil novos postos de trabalho.

Na segunda-feira, 13, tiveram início as obras de escavação do VSE Tietê
(poço de ventilação) da Linha 6-Laranja, que ligará a região noroeste da
cidade ao centro (Brasilândia – São Joaquim). A obra está inserida no
contexto de um amplo projeto de integração da malha metroferroviária de
transporte público do governo do Estado de São Paulo.

São 15,3 quilômetros subterrâneos, com 15 estações localizadas em uma área urbana bastante populosa. Dois shields,
conhecidos como “tatuzões”, partirão em direções distintas a partir do
VSE Tietê. Um, vai escavar o túnel em direção a São Joaquim e o outro em
direção a Brasilândia. As estações serão Brasilândia, Vila Cardoso,
Itaberaba, João Paulo I, Freguesia do Ó, Santa Marina, Água Branca, Sesc
Pompéia, Perdizes, PUC-Cardoso de Almeida, Angélica/Pacaembu,
Higienópolis/Mackenzie, 14 Bis, Bela Vista, São Joaquim.

Quando entrar em operação, a Linha 6-Laranja oferecerá quatro pontos de
conexão com a rede metroferroviária: Linha 7-Rubi (Água Branca); Linha
8-Diamante (Água Branca); Linha 4–Amarela (Higienópolis/Mackenzie) e
Linha 1-Azul (São Joaquim), reforçando o conceito de rede integrada
proposto pelo governo. Serão 32 frentes de trabalho, divididas em 15
estações, 17 postos de ventilação e um pátio de trens. A Linha 6-Laranja
será totalmente subterrânea, deverá transportar 633 mil pessoas por
dia. Além disso, o percurso, que hoje é feito em até 1 hora e meia,
passará a ser feito em 23 minutos o que vai facilitar o acesso da
população às diferentes oportunidades da cidade nas áreas de lazer,
cultura e trabalho.

Fonte: In Press Porter Novelli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *