Por que os carros elétricos de Elon Musk fazem tanto sucesso?

O Tesla Model S, um dos veículos da fabricante de Elon Musk

Uma pesquisa recente da consultoria Jefferies mostrou que proprietários dos carros elétricos da fabricante Tesla Motors estão muito satisfeitos com seus veículos. Dos 145 entrevistados, 85% deles disseram que seu próximo carro seria outro Tesla e 25% sequer consideram outra marca.

A pesquisa também mostrou que 89% deles ainda comprariam veículos da marca mesmo se a taxa de crédito de 7 500 dólares sobre os carros elétricos nos Estados Unidos fosse eliminada. Não é surpresa, portanto, que 83% disseram que recomendariam carros Tesla para seus amigos.

O alto índice de aprovação dos proprietários pode estar relacionado à ideologia inovadora e sustentável da marca – produtos com zero emissão de poluentes, de veículos elétricos a baterias de fontes renováveis. De acordo com a própria companhia, quando foi criada em 2003 pelo bilionário sul-africano Elon Musk, o objetivo seria “provar que os carros elétricos poderiam ser melhores do que os carros movidos à gasolina”.

Hoje a Tesla Motors fabrica a linha do Model S, com preços a partir de 57 500 dólares. Lançado em 2012 como “o primeiro sedan premium elétrico”, o carro tem aceleração instantânea (alcança a velocidade de 60 milhas por hora em 3,1 segundos) e, ao contrário de um motor com combustão interna, concentra sua força apenas no rotor, deixando-o silencioso. Com a opção “autopilot” ativada, o carro consegue dirigir, estacionar e fazer curvas automaticamente.

Em estudos anteriores, proprietários do Model S já haviam mostrado lealdade. Por dois anos ficou no topo de satisfação do relatório Consumer Reports, sendo que na edição mais recente, 98% dos entrevistados disseram que comprariam o carro de novo, quando a média da indústria costuma ser 70%. Um dos seus concorrentes “verdes” é o Mirai da Toyota, movido a hidrogênio.

Já com 50 000 unidades em uso ao redor do mundo, a empresa se prepara para lançar modelos novos, como Model X, automóvel do tipo crossover esperado para ser entregue em 2016, e o Model 3, que deve ser lançado em 2017, com preço mais acessível que os demais.

A Tesla tem, ainda, um segmento de baterias para residências e indústrias, a Powerwall. Anunciada no final de abril, a linha marcou a entrada da empresa no mercado de energia, como a “peça que faltava” na transição para um mundo energeticamente sustentável.

Por: Giovanna Rossin
Fonte: INFO Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *