GM e Lyft vão testar táxis elétricos autônomos nos EUA

Pelo aplicativo de transporte, passageiro vai poder escolher um veículo com piloto automático para se deslocar

A montadora General Motors e o aplicativo de carona paga Lyft vão testar uma frota de táxis elétricos autônomos nas ruas dos Estados Unidos dentro de um ano, de acordo com o jornal norte-americano The Wall Street Journal. Embora ainda não haja muitos detalhes de como vai funcionar a nova empreitada das duas empresas, a ideia é oferecer ao usuário a possibilidade de optar ou não por um veículo com piloto automático, ao solicitar uma corrida pelo aplicativo Lyft.

A nova estratégia para disputar o mercado de serviços de compartilhamento de veículos foi anunciada quatro meses depois de a GM investir US$ 500 milhões na Lyft, principal rival do aplicativo Uber. O serviço de transporte utilizará a tecnologia para veículos autônomos desenvolvida pela Cruise Automation, startup com sede em San Francisco, adquirida pela GM em março por US$ 1 bilhão.

A Lyft chegou ainda a desenvolver um protótipo que integra, ao seu aplicativo, o serviço OnStar da GM, pelo qual o passageiro pode conversar com um atendente para obter informações de localização de estabelecimentos, rotas, condições de tráfego e ajuda em caso de emergência. “Achamos que o nosso negócio e a mobilidade pessoal vai mudar mais nos próximos cinco anos do que nos últimos 50”, disse o presidente da GM, Dan Ammann, à agência Reuters.

Entre os principais concorrentes para o serviço estão o Google e o Uber. O projeto de carro com autônomo do Google ganhou uma considerável vantagem sobre os fabricantes de automóveis convencionais após passar por testes na Califórnia e outros estados americanos. Além disso, a gigante de tecnologia anunciou nesta semana parceria com a Fiat para desenvolver minivans autônomas. Já o Uber, tem o seu próprio centro de pesquisa de auto condução em Pittsburgh e está se preparando para inaugurar veículos autônomos em sua frota até 2020.

Para Uber e Lyft, um dos principais obstáculos para a chegada de veículos autônomos aos consumidores é a falta de regulamentação nos Estados Unidos. Inclusive, a Lyft chegou a se antecipar à definição das regras – e acalmar os ânimos dos legisladores – ao anunciar que os carros autônomos sempre contarão com a presença de motoristas para intervir quando necessário.

Em meio à fraca demanda por carros elétricos, a GM pretende ainda utilizar a crescente frota de motoristas da Lyft para pôr nas ruas o próximo lançamento da fabricante: o carro elétrico Chevrolet Bolt, que chegará ao mercado ainda neste ano. De acordo com a consultoria Edmunds, os veículos elétricos e híbridos representam menos de 2% da frota dos Estados Unidos.

Fonte: Estadão – Link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *