Novo Nissan Leaf terá missão de popularizar o carro elétrico no Brasil

Ele começará a ser importado em 2019, quando o programa Rota 2030 já estará em vigor e deverá reduzir os impostos dos veículos elétricos para um patamar abaixo de 7%

Muito mais do que estrear no mercado brasileiro, a nova geração do Nissan Leaf terá a missão de popularizar o carro elétrico no Brasil. O Leaf é o carro 100% elétrico mais vendido do mundo e tem o mercado brasileiro totalmente aberto para fazer sucesso. Por isso, a Nissan decidiu ficar menos dependente das vendas do Kicks, seu SUV que responde por mais de 50% das vendas da marca no Brasil.

O novo Leaf tem um motor elétrico de 149 cv de potência e 32,6 kgfm de torque. Como em todo carro elétrico, o torque é totalmente disponível a qualquer aceleração. Para o Brasil, o carro pode contar com uma bateria de 40 kWh (com autonomia de 240 km) ou de 60 kWh (para rodar 320 km). O modelo estreia também o sistema e-Pedal, que permite ao motorista acelerar e frear com o mesmo pedal (basta tirar o pé do acelerador). Visualmente, o Leaf ficou muito mais ousado, com linhas já inspiradas no conceito IMx, apresentado no 45º Tokyo Motor Show.

A Nissan tem tanta confiança no Leaf que aproveitou a feira japonesa para apresentar também uma versão Nismo do Leaf. Assim, em breve o carro elétrico deverá ter também uma opção focada na esportividade, como os demais carros da grife Nismo.

A Nissan programou para este sábado o primeiro test drive do novo Leaf, mas seu futuro já está decidido. Segundo Daniele Schillaci, vice-presidente mundial da Nissan, “o novo Leaf está mudando seu posicionamento de carro de nicho para um carro de massa”. O próprio executivo aproveitou o Salão de Tóquio para perguntar: “Quando os carros elétricos terão o mesmo preço de um carro convencional?” Ele mesmo respondeu: “Em 2025 os carros elétricos já terão um custo igual ao dos carros movidos a gasolina”.

Por isso, o Leaf é estratégico para a Nissan do Brasil. A partir dele, a marca pretende reforçar seus pedidos para que o governo mude os valores dos impostos para os veículos elétricos. Apesar de o imposto de importação ter sido reduzido a zero, o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) ainda é caríssimo. Para se ter uma ideia, embora não emita poluentes, o Leaf estreará pagando um IPI de 25%, enquanto o de um carro 1.0 convencional é de 7%.

A Nissan pretende usar o Leaf para mostrar que a marca é uma das líderes mundiais nessa tecnologia e tomar a dianteira para quando o imposto baixar (o objetivo é chegar a 4%). Pelos valores atuais, o Leaf custará entre R$ 120.000 e R$ 130.000, mas as vendas começarão só em 2019, quando estará em vigor as regras do programa Rota 2030, que deverá deixar o Leaf muito mais acessível para o público brasileiro.

Por: Sergio Quintanilha
Fonte: Motor Show

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *