Após ter carro no espaço, Tesla divulga prejuízo recorde no fim de 2017

Montadora atribui perda de US$ 675 milhões no 4º trimestre aos custos altos de produção do veículo, o Model 3. “Estamos num nível de inferno maior que o esperado”, diz Elon Musk.

A Tesla voltou a ganhar atenção mundial com o envio de um carro ao espaço, na última terça-feira (6). Um dia depois, a montadora especializada em veículos elétricos divulgou que teve um prejuízo trimestral recorde nos últimos meses de 2017.

A empresa de Elon Musk, que também é dono da SpaceX, fabricante do foguete que levou o carro para fora da Terra, perdeu US$ 675,4 milhões no quatro trimestre.

No mesmo período de 2016, o prejuízo tinha sido de US$ 121 milhões.

A companhia atribuiu as perdas maiores aos altos custos relacionados à produção de seu novo modelo, o Model 3, um sedã que é apontado como o primeiro carro elétrico “de massa” da Tesla – que Musk chegou até a prometer vender no Brasil.

Do céu ao ‘inferno’
A montadora, ainda pequena em volume perto das grandes que atuam nos Estados Unidos, vem enfrentando dificuldades na produção e está longe da meta de entrega anunciada há 1 ano, que era de 5 mil unidades do Model 3 por semana.

Na mais recente atualização dos números, a empresa afirmou que deverá chegar a 2.500 carros por semana no mês que vem, e a 5 mil apenas no fim de junho.

Em conferência por telefone com analistas de mercado na última quarta (7), Musk assumiu que enfrenta problemas. “Estamos num nível de inferno maior do que esperávamos”, resumiu. Ele destacou particularmente as dificuldades na produção de módulos de bateria para o carro.

Mas o empresário buscou se mostrar confiante.

“Se podemos mandar um Roadster para o cinturão de asteroides, provavelmente conseguiremos resolver o problema da produção do Model 3”, disse Musk. “É só uma questão de tempo”.

Receita aumenta
A receita da Tesla, no entanto, subiu 36% sobre o mesmo período de 2016, com aumento nas vendas do Model S e do SUV Model X, que são mais caros. A receita somou US$ 2,7 bilhões no trimestre, contra US$ 1,99 bilhão nos últimos 3 meses de 2016.

Também houve aumento na receita com produtos relacionados a estocagem de energia – baterias e sistemas de captação de energia solar para casas.

Em abril passado, a Tesla chegou a se tornar a maior fabricante americana de automóveis por seu valor financeiro, superando a a General Motors (GM) por alguns dias, em uma demonstração da confiança do mercado em seu potencial.

Fonte: Auto Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *