Renault Zoe revela dados no Inmetro e pode chegar em breve

O Renault Zoe apareceu na tabela de eficiência energética do Inmetro. O compacto da marca francesa já nasceu elétrico e foi mostrado pelo NA no último Salão do Automóvel, em 2016. O hatch é o principal destaque energizado da empresa na Europa, conseguindo obter boas vendas, em especial no mercado alemão, onde chegou a liderar as vendas.

O método pelo qual a Renault o introduziu no mercado europeu converte o custo elevado da bateria em aluguel, fazendo assim com que o Zoe custe o mesmo que um compacto similar movido por diesel. Mas e por aqui? Apesar de não ser vendido, o modelo roda há bastante tempo no Brasil, mas nas mãos de empresas parceiras do fabricante francês.

Assim como a Nissan, a Renault começou os testes e parceiras com empresas públicas e privadas, mas longe do consumidor comum e apenas cedeu o modelo em testes rápidos para uma pequena parte da imprensa automotiva. Agora, o Zoe revela algumas versões que supostamente poderão ser vendidas por aqui, embora a tabela do Inmetro não seja garantia de que um produto vá de fato ser vendido aqui.

Então, na referida tabela 2018, o Renault Zoe aparece identificado como “Zoe NR” e “Zoe LR”, sendo que o primeiro tem autonomia de 240 km (NEDC) e possui baterias de lítio de 22 kWh. Esta opção tem versões Intens e Life. Já a versão LR é aquela com baterias de 41 kWh e autonomia de 400 km (NEDC), que de acordo com a marca, tem alcance na vida real de 300 km.

Neste versão LR, o Zoe apresenta as versões Intens, Life e Ultimate, esta última comercializada na Europa através da Bose. Nos dois casos, o motor elétrico é o R90 com 90 cavalos e 22,8 kgfm, mas recentemente o compacto recebeu um propulsor mais potente, o R110 com 110 cavalos e o mesmo torque.

De acordo com a tabela do Inmetro, o Renault Zoe NR tem consumo equivalente ao de gasolina ou diesel de 32,2 km/l na cidade e 26,7 km/l na estrada. No caso da versão LR, os números são de 31,9/26,9 km/l, respectivamente, tendo ambos consumo energético em MJ/km de 0,65 e atingem os níveis máximos de classificação na tabela, com “A” na geral e categoria, assim como Selo do Conpet.

Com 4,08 m de comprimento, 1,73 m de largura, 1,56 m de altura e 2,59 m de entre-eixos, o Renault Zoe tem porte semelhante ao do Sandero e na Europa custa até 23,6 mil euros. Dada as novas regras de IPI para o segmento no Rota 2030, o modelo recolherá 8% de IPI, já que pesa 1.468 kg e fica acima dos 1.400 kg exigidos para ter 7%, mas fica dentro do limite de 0,66 de MJ/km para obter o benefício.

E quanto custará se chegar ao mercado? Por ora não dá para saber, mas é certo que ficará bem acima de R$ 100.000. A Renault poderia até implementar o mesmo modelo de negócio vigente na Europa, com a locação da bateria mediante um custo mensal para o proprietário do carro e assim reduzir o preço de compra do produto. Também poderia apostar no modelo de assinatura mensal.

E sua produção nacional? Duas possibilidades poderiam ser efetivadas na região. Uma seria sua montagem em CKD no país (talvez em Itaipu, vide foto no alto e acima) e a outra, mais interessante em termos de custo de produção, seria a adoção da plataforma modificada do Sandero para uma nacionalização do Zoe.

Porém, isso acabaria gerando um projeto de longo prazo e apenas para uma demanda elevada, o que não é vislumbrado no momento. Assim, a importação ou a montagem CKD aparecem como opções mais imediatas.

[Fonte: Notícias Automotivas]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.