Primeiro veículo elétrico da VW feito no Brasil é um caminhão de cerveja

E-Delivery é o primeiro caminhão 100% elétrico desenvolvido no Brasil. Ele ainda não chegou às lojas, mas já roda em testes.

De longe, o Volkswagen E-Delivery é um caminhão como os outros. Mas os moradores de São Paulo, por onde o protótipo circula, sabem quando é ele que está em serviço. O veículo de carga entrega cerveja e refrigerante, mas não é isso que o diferencia.

De perto, o E-Delivery se destaca porque é silencioso. Seu motor é elétrico e quase não faz barulho (há um zumbido de reator de lâmpada fluorescente, mas nada que se compare ao ronco de um motor a diesel).

O E-Delivery é o primeiro caminhão 100% elétrico desenvolvido no Brasil. O exemplar mostrado aqui ainda é uma versão experimental derivada da linha Delivery, que a VW lançou em 2018. Mas o E-Delivery está prestes a entrar em produção.

A expectativa é de que ele chegue ao mercado no final de 2020. A VW ainda não fala quanto ele custará, mas será mais caro que a versão diesel, com preço sugerido de R$ 150.700.

A fabricante de bebidas Ambev foi o primeiro cliente da Volkswagen a se interessar pela tecnologia, daí surgiu a parceria. Ano passado, a Ambev anunciou a intenção de comprar 1.600 caminhões elétricos.

Os testes de campo devem durar 18 meses, segundo o supervisor de marketing de produto da VW, Ricardo Yada.

O protótipo roda entre 50 e 100 km por dia. Ele sai da central de distribuição da Ambev, que fica no bairro da Mooca, na zona leste, carregado de bebida e eletricidade e volta com baú e baterias vazios. A recarga das baterias é feita à noite, quando o consumo de eletricidade diminui e as tarifas são menores. E o carregamento das bebidas ocorre de madrugada.

O E-Delivery é equipado com motor síncrono de ímãs permanentes de 244,7 cv e 219,2 mkgf (muito mais que seu equivalente a diesel, de 175 cv e 61,2 mkgf, que equipa o Delivery na versão 13.180), acoplado a uma transmissão com uma marcha à frente e a ré.

Segundo a VW, a capacidade de carga é de 7,5 toneladas e o peso bruto total (carga+veículo+implemento) é de 14,3 toneladas.

As baterias são de íons de lítio níquel-manganês-cobalto e têm capacidade de 240 kWh, o que garante uma autonomia estimada de 200 km.

O E-Delivery é um elétrico do tipo plug-in, ou seja: suas baterias são recarregadas diretamente na tomada. O tempo de recarga é de três horas, desde que feita em uma rede de corrente contínua de alta-tensão. Para que a eletricidade consumida seja limpa e de fonte renovável, a Ambev instalou painéis de captação solar na central da Mooca.

Segundo a VW, os motoristas da Ambev brigam entre si para dirigir o E-Delivery. De três em três meses, porém, o protótipo é recolhido para avaliação e manutenção na VW.

A cabine do E-Delivery é igual à do Delivery Express a diesel. Tem três assentos individuais e um cockpit que lembra o de uma picape (poderia ser o da VW Amarok, porém bem mais simples). A principal diferença está no lado esquerdo do painel de instrumentos. No Express, o mostrador reúne conta-giros, indicador de temperatura do motor e espaço vazio para luzes-espia. No E-Delivery, o conta-giros cede metade da escala para um indicador de funcionamento do motor elétrico: liga/desliga e carregamento das baterias.

A VW não fala quanto o veículo faz de 0 a 100 km/h. Mas informa que a velocidade máxima é de 80 km/h. Dinamicamente, o E-Delivery é igual ao irmão movido a diesel, sem a vibração do motor.

A suspensão, para um caminhão, é confortável. Isso porque a VW instalou uma estrutura com amortecimento a ar no eixo traseiro. Porém, a principal razão desse recurso não está no conforto. Sua função mais importante é medir a carga transportada para a central eletrônica e gerenciar o consumo.

À medida que as entregas são feitas, o caminhão fica mais leve e passa a necessitar de menor energia para se deslocar. O eixo traseiro é o que recebe a tração do motor, que também está localizado na parte de trás do chassi.

Ficha técnica

  • Motor: Traseiro, elétrico, plug-in, síncrono de imãs permanentes, com 244,7 cv e 219,2 mkgf
  • Baterias: Íons de lítio níquel-manganês-cobalto. Recarga: 3 horas (corrente contínua, alta tensão). Autonomia: 200 km
  • Câmbio: Automático, 1 marcha, tração traseira
  • Freios: Discos ventilados nos três eixos
  • Direção: Hidráulica
  • Suspensão: Duplo A (dianteiro), eixo rígido com amortecimento a ar (traseiro)
  • Dimensões:
    – Comprimento: 624 cm;
    – Largura: 202,5 cm;
    – Altura: 237,6 cm;
    – Entre-Eixos: 260 cm;
    – Capacidade de Carga: 7,5 toneladas;
    – Peso Bruto: 14,3 toneladas
  • Desempenho: Velocidade máxima: 80 km/h

[Via: Revista Quatro Rodas]

veiculoeletrico

Tudo sobre carros elétricos, veículos elétricos, motos elétricas. As últimas novidades do setor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.